top of page
acreditar-em-si.jpg

Conheça também nossas páginas sobre:

Contato


Economia Criativa

Moda Social

Pequena Empresa

Perguntas sobre Vendas

Pelas trilhas da Venda

Criatividade e Liderança

Empreendedorismo Social

Ação Social

Trabalho Voluntário

Blog

Agenda

Bendita é a dor!

Quando pequeninos, se a dor nos acerta, corremos ligeiros para o colo da mãe e ela sara bastando um simples beijinho.



Dizem que a vida depende da dor para se manter; que se não doesse, nós morreríamos sem nem saber. Um velho amigo nos confidenciou que, depois de uns certos anos desse bom viver, o que nos dá certeza de ainda não ter findado a experiência é a dor se fazendo doer!


No início, ela aparece de quando em vez, feito o Bom Velhinho antes da gente crescer. Passa, faz festa, e some como os galos na testa.


Um certo dia, acordamos cedinho e ela está lá, abraçada no nosso joelho, grudada no nosso calcanhar e, quando reclamamos nos falam que é preciso alongar, aí meus amigos, das pernas para os braços é só esperar, ela irá se esgueirar.


Agora, que ela já se sente “de casa”, não vai demorar para começar a andar e, quando a danadinha chegar nos quadris, quem olhar de longe vai estranhar o nosso curioso rebolar, procurando um jeitinho para andar sem mancar.



Vai-se dormir bom igual a um coco, acorda-se com o pescoço duro, estica dali, puxa daqui, e termina travando o ombro.


A esta altura do jogo, quando só de caminhar dói, corre-se para o Pilates; quando a coluna trava, pula-se para o RPG e daí para diante é Acupuntura, Moxa, Do-In e Ventosa, e nada vence a danada da dor que sem dó nos assola.


Com o passar dos anos, ela acaba se afeiçoando e, já íntima, chega sem avisar, passa uns dias e vai ficando até não se suportar. E dói tanto, que se recorre às simpatias ou se deixa levar pra rezar.



Pode até doer, mas que é bom viver, eu não tenho dúvidas e recomendo muito: Viva intensamente, sem restrições!


A vida é que é bendita!


Rogério Alves


175 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page